segunda-feira, 9 de março de 2009

A propósito da inclusão social...

Esterança lançou-me o desafio para falar sobre inclusão social.

Ao longo dos tempos, a humanidade ao viver em comunidade, teve uma tendência para a exclusão social. Se pensarmos à letra neste termo”exclusão social”, significa colocar de lado alguém diferente de nós, por razões variadas, desde razões económicas, culturais, raciais, religiosas… e principalmente por razões físicas, de aparência …

Cada vez mais deparamo-nos com uma sociedade que valoriza a aparência, em detrimento de outros valores, como a solidariedade, integridade, honestidade, competência, conhecimento, humildade... Tudo o que entra em choque com o “padrão”, pré- estabelecido fica automaticamente excluído...

Quando se estabeleceram as “regras”, esqueceram-se de incluir a diferença:
Em pleno séc. XXI, a nossa sociedade tem que aprender a excluir apenas o preconceito e incluir a diferença, como algo natural e tão importante como o ar que respiramos,

porque:
nem todos vivemos, pensamos, vestimos, da mesma maneira;
todos nós somos diferentes por dentro e por fora…mas sentimos da mesma forma a dor, o medo, a saudade, a revolta, , o amor, a amizade…
não existe ninguém perfeito e saudável a 100%...
ninguém tem a sabedoria toda, nem é dono do mundo…
todos somos diferentes, naquilo que somos e como somos e apenas somos iguais, enquanto seres humanos.


É com a diferença que se torna a nossa sociedade mais rica, mais democrática e mais fiel à própria ideia de comunidade. Temos que dar as mãos uns aos outros para construir um amanhã melhor, independentemente que nós sejamos pobres, ricos, doentes, saudáveis, mais ou menos inteligentes, com ou sem mão, andando ou não, acreditando em algo ou não…

É urgente começarmos a olhar em nosso redor, na pele dos que, por força maior, não conseguem ver, ouvir, andar, correr…enfim tudo o que uma pessoa comum consegue…para criarmos formas para elas se sentirem mais independentes, mais capazes de enfrentarem o dia-a-dia sem obstáculos…para que se sintam tão ou mais felizes neste mundo…

Parece ser fácil falar, mas não é, só quem sente verdadeiramente na pele sabe que há muito a fazer para tornar o nosso mundo melhor para todos…

…eu própria já senti um pouco na pele o “preconceito”, onde menos esperei encontrar, por causa de um pormenor, que nunca pensei que pudesse colocar em causa a minha própria profissão… o facto de ter nascido a ouvir menos do que qualquer outra pessoa foi o suficiente para alguém achar que não tinha os pré-requisitos necessários para ser professora, independentemente de ser competente naquilo que fazia…isso deixou-me triste, mas continuei o meu caminho, mesmo com alguns obstáculos, com orgulho de ser quem sou…

Isso é apenas um desabafo meu… para dizer que está nas nossas mãos incluir todos no nosso mundo, sem excepções, de uma vez por todas!

18 comentários:

Angela disse...

Gostei do tema escolhido,e já vivi este pesadelo junto com minha irmã que precisava muito do trabalho,mas com pouca audição em um dos ouvidos foi rejeitada pela empresa..o que nos doeu muito..
Mas infelizmente só tomamos partido da causa quando acontece dentro de nossa casa..
Está certa deveriamos nos incluir de uma vez por todas..
Prazer em conhecer você,vou voltar sempre.
Beijos

Elaine disse...

Olá!
Susana, é mesmo verdade que sempre tendemos a afastar quem é diferente ao invés de crescer com as diferenças.
Parece que para se afirmar cada comunidade tende a expulsar o diferente, esquecendo que no fundo somos todos intrínsecamente diferentes. E segregamos especialmente pela aparência, que pena! Pois assim deixamos de conhecer pessoas que são únicas!
Tenha uma boa semana e fique com Deus.

Marli disse...

Querida Susana,
Parabéns por estas palavras! Em menor ou maior grau, em alguma coisa, de alguma forma, somos todos deficientes, alguns física, outros mental, outros espiritualmente. E todos estamos no "mesmo barco"! Ainda bem que a humanidade está se conscientizando disso cada vez mais. Por isso devemos crer sempre no melhor!
Deus te abençoe sempre,
bjinhos.

Angela disse...

Oi Susana,adorei a idéia da troca de links,vamos trocar..
Beijos

Susana disse...

Elaine:cada vez mais temos que encarar o mundo como "todos diferentes, todos iguais".
Seja bem vinda ao meu cantinho e volta sempre que te apetecer.
Beijinhos,
Susana

Susana disse...

Angela: a rejeição é a pior sensação que o ser humano pode ter na vida...quando fomos feitos para vivermos em comunidade. Por vezes o melhor a fazer é afastar-nos dessas energias negativas e estar junto de quem realmente gosta de nós como somos, por dentro e por fora.
Obrigada por aceitares o convite (da troca).
Beijinhos!
Susana

Susana disse...

Marli, amiga! Muito obrigada pelas tuas palavras. Dão-me força para continuar com este projecto, o clube das mulheres beirãs.

Beijinhos,
Susana

Compondo o olhar ... disse...

lindo seu texto, parabens pela bela participação nesta gde idea, a blogagem coletiva.


abraços

Mírian Mondon disse...

Querida Susana,
Obrigada por sua visita e suas gentis palavras!
Nao estava conseguindo entrar no seu blog, nao sei porque ele estava aparecendo em branco, mas insisti e valeu a pena.
Tenho me encantado com as analises e ponto de vistas, mas ouvir um relato pessoal corta mais que mil palavras.

É inacreditavel pensar que voce quase foi impedida de fazer o que ama fazer por causa de um detalhe.
Felizmente voce perseverou!

Deixei uma taça de café de para voce e para os participantes dessa blogagem porque voces realmente merecem!

Abracos e parabens!

Philip Rangel disse...

Muitas vezes pergunto como que simples atos de verdade como foi desempenhado pela Ester, nos faz entrar nesse mundo magico de verdade; esse mundo que ao mesmo tempo falamos de algo serio, encontramos novos amigos, novos conteudos. Isso se chama mudança, isso é incluir na sociedade, mostrando o que somos capaz. E hoje ao ler seu conteudo deparo com varias suspresas como essa, que faz eu parabenizar a vc.. pelo excelente trabalho...

Continuemos....abraços

"A gente nao faz amigos, reconhece- os"
Vinicius de MOrais

€ster disse...

Amiga!

Que belíssima postagem! Parabéns por colocar tão bem essa problemática que envolve a exclusão e inclusão,

"excluir apenas o preconceito e incluir a diferença'

gostei muito disso, o caminho é árduo e longo,
mas que não nos falte a força e coragem para avançarmos rumo as mudanças significativas,

Vc foi muito feliz na sua postagem!

Muito obrigada pela sua brilhante participação,


bjs,

Andréa disse...

Precisamos lembrar mais da palavra "respeito". Bela postagem ! bjs

Multiolhares disse...

Olá se não fosse a esterança talvez nunca viesse a conhecer o teu espaço.
Os valores estão todos invertidos, e se não tivermos força para lutarmos pelo que queremos ser e pelo que acreditamos acabamos por perder a nossa verdadeora identidade
Bj

Christi... disse...

Susana, gostei muito da postagem, bem conclusiva, e com abordagens que nos fizeram pensar, com certeza, essa é a questão que favorece as mudanças.

Bjs

Chris

Susana disse...

A todos que vieram espreitar o meu cantinho e deixaram uma mensagem, agradeço,do fundo do coração!
E dou os parabéns à Ester pelo sucesso da blogagem colectiva.

Um abraço para todos e voltem sempre.

Susana

Angela disse...

Oi boa noite,não sei se participa de Meme,mas tem um lá para responder no blog,se não quiser não responda está bem?
Beijos

Francisco Castro disse...

Olá, Susana!

A solidariedade é a coisa mais bonita e mais importante que um ser humano possa fazer. Ajudar a quem não pode fazer, a quem não tem condições é uma coisa maravilhosa. A inclusão social de pessoas que vivem as margens da sociedade é muito gratificante. Certamente quem faz isso será graticado muito bem.

Abraços

Francisco Castro

Susana disse...

Francisco: Seja bem vindo ao meu cantinho! E faço minhas, suas palavras.

Um abraço, Susana