quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

“A SÉRIO, ESTOU GRÁVIDA” (parte 1)


Sílvia Pereira, funcionária da Bertrand do CC. Foz Plaza, vestiu-se de peixeira de Buarcos, para animar o dia de abertura da loja. (Foto cedida pela própria)

Como poderão ler, desta vez, a escrita desta entrevista vai ser um pouco diferente. Pois, a entrevistada é Sílvia Pereira, minha amiga do peito e beirã do coração. Então cá vai esta singela demonstração de amizade.

Lembro-me que foi ela a primeira de 3 amigas minhas a anunciar-me que estava grávida. Sim, é verdade: são 3, estão todas com o mesmo tempo de gestação e vão todas ter os bebés em Junho. A minha sorte ou azar é que são de cidades diferentes e não vão entupir a maternidade. Mas vai ser um rico mês onde vamos festejar os Santos Populares e 3 nascimentos (por enquanto não tive notícias de mais nenhum). Voltando a famosa novidade. Foi-me comunicada pela Internet. Demorei quase 1 hora a acreditar. Ela repetia: “A sério, estou grávida” e eu só escrevia: “Estás a gozar comigo”. Não me interpretem mal, não é que ela não tenha desejado esse estado, nem que não tenha jeito para crianças, pelo contrário. É que a Sílvia tem 34 anos e sofre de diabetes desde os 14 anos. Por isso, pensei que quando fosse para ser mãe, fosse tudo planeado ao pormenor. Além disso, é muito brincalhona, daí eu não me fiar a primeira.

Vou voltar no tempo e contar-vos um pouco da sua história. Nasceu em França, regressando com os pais e irmão mais novo para Portugal, em 1985. Com 9 anos, caiu de paraquedas na Gândara, uma aldeia da bonita vila de Mortágua. Lá cresceu e estudou. “Era uma liberdade enorme, pois contrastava imenso com a vida francesa. Brincava no campo com o meu irmão e primas. Ajudava a minha mãe com as ovelhas, as cabras e a horta. Também ia com o meu pai para tratar das vinhas”, recorda, mantendo ainda hoje esse apoio familiar. Antes de ir estudar para o ensino superior no Politécnico da Guarda, esta filha de pais beirões, começa a sentir sintomas estranhos em Maio de 1990. “Sempre fui boa aluna e tudo corria na perfeição. No entanto, comecei a sentir muita sede e a passar a vida a correr para a casa de banho, a sentir-me muito cansada e a emagrecer. Comentei com a minha mãe. Os dias foram passando, mas tudo na mesma”, descreve. Uma vizinha diabética alerta para a possibilidade de ela ter diabetes. Após ter feito análises, o médico lê o diagnóstico: diabetes – por mais de 200mg de açúcar por dl no sangue, isto em jejum. Resolução: 15 dias de internamento nos Hospitais da Universidade de Coimbra. “Ao princípio, foi um choque. A minha mãe e eu choramos nas primeiras horas de internamento. Sabia que a partir desse dia, a minha vida não voltaria a ser a mesma. Também ficava aflita porque as enfermeiras diziam-me que a diabetes era para toda a vida”, esclarece.

(Imagem retirada da Internet)

A esperança de cura ainda se mantém ancorada no seu coração. Entretanto, ao longo desses 20 anos, Sílvia conseguiu levar a cabo um tratamento de injecção de insulina (4 a 6 vezes ao dia, antes de cada refeição e ao deitar) para manter níveis razoáveis. “É a minha rotina. Tenho de me injectar porque o meu pâncreas não produz insulina, hormona responsável em transformar o açúcar dos alimentos em energia, distribuindo-o pelas células. A sua falta no organismo leva a que não seja utilizado pelo corpo e se acumule no sangue”, explica. Uma pessoa saudável tem de ter os valores de açúcar entre os 80 e 120 mg por dl no sangue em jejum. Abaixo de 80 dá-se o nome de hipoglicémia e acima de 120, hiperglicémia; embora se aceite, para uma pessoa diabética, valores até 150 mg/dl após 1h30 da refeição.

Porém, se não for bem tratada, pode ter não só consequências graves nos olhos, rins, nervos e no coração, como também causar disfunção eréctil e infecções. Sílvia já tem vasos da retina danificados, apesar da sua visão permanecer nos 100%. O controle do peso, do colesterol e da tensão arterial é constante. Além disso, o cuidar do corpo, principalmente dos pés, é mais que uma vaidade, é um dever. Pois, qualquer ferida pode transformar-se num grande problema e ditar uma amputação.

A alimentação é um dos mais importantes factores a ter em consideração. “Embora possa comer de tudo um pouco, tenho de manter uma dieta saudável. Comer de tudo um pouco sem exageros na quantidade”, refere. O exercício físico é outro aliado. “Aqui, eu peco e muito. Não tenho excesso de peso, mas deveria ter um plano semanal de exercício porque ajuda na absorção da insulina pelo organismo e na redução da administração da mesma nas injecções”, confessa.

A diabetes não interfere em nada no trabalho. Prova disso, é esta mulher de 34 anos que após tirar o curso de comunicação e relações públicas, arregaçou as mangas e exerceu diversas actividades na Guarda, em Aveiro, em Viseu e por fim na Figueira da Foz onde se encontra hoje. Esta jovem, cheia de genica, já foi secretária, jornalista, animadora, recepcionista, e actualmente é livreira. “A minha doença não entra em conflito com o meu trabalho. Basta-me seguir direitinho a minha terapêutica: comer bem e dar a insulina nas devidas horas. Isso depende muito da rotina. Se ela se alterar, temos de adequar o tratamento consoante. É uma questão de adaptação correcta”, orienta-me, muito animada. Um pequeno erro (como menos insulina ou mais comida) pode ser fatal ou provocar grandes sustos. Eu senti isso bem de perto…

Não perca pitada dessa história na próxima quarta-feira!!!

10 comentários:

Luis disse...

Minha Boa Amiga,
Vou continuar a seguir esta estória bem interessante de alguém que se não deixa abater pela doença. Desejo~lhe a maior sorte para Junho.
Um beijinho amigo.

Helena Teixeira disse...

Olá!
A Sílvia é uma amiga para a vida inteira e ela sabe disso.Hoje ou amanhã,iremos saber se é menino ou menina...tantantan...Gémeos seria engraçado :)

Jocas gordas
Lena

Pascoalita disse...

Aqui está mais uma daquelas hi(estórias) de verdadeiro suspense!

Como qualquer beirã, a Silvia só podia ser uma MULHER de garra! E tem aqui mais uma conterrânea a torcer para que tudo corra bem. E VAI CORRER :)*

Vou ficar atenta e ansiosa pelos capítulos seguintes ...

Tudo de bom para as duas
jinhos

amitaf disse...

Linda história.
Estas histórias de bébés a chegar deixa-me sempre muito empolgada.

Força Silvia.

E mais uma vez um bem-haja á Leninha,por nos trazer estas histórias de encantar.
Bjs.
Fátima

Helena Teixeira disse...

Bom,eu tinha de divulgar isto em 1ª mão aqui para as meninas,senhoras,meninos e senhores do Clube das Mulheres Beirãs: a Sílvia vai ter um MENINO :)
Ah e as minhas outras duas amigas,vai ser um menino e a outra uma menina.Este ano,parece-me ser dos rapazes :)
Força a todas!!!

Jocas gordas

Bom fim-de-semana
Lena

P.S.:obrigada Fátima por ser sempre uma querida comigo :)

Laura disse...

Então que esse querido Anjo seja bem vindo à terra e possa nascer, crescer saudável, sem problemas, e a mãe, a ma~e ficará bem, assim como tem de ser, porque Ele tudo rege e ilumina!...
Beijinho da laura

Céu Vieira disse...

Olá Leninha, bom diiiiia!
Obrigada pela sua visitinha e comentário no meu blog...
Gostei tanto desta história de vida! Fico à espera do resto!!!
Que liiiiiiindo a Sílvia vai ser mamã!!!!! Parabéééééns! Força Sílvia, vai correr tudo bem!!!
Vou dar uma opinião para o nome do menino dela: LUCAS... Porque a minha nora também está grávida, vai ter no fim de Abril, principio de Maio, e vai ser um LUCAS! Ela ainda está indecisa, se Lucas se Mateus, mas eu gosto mais de Lucas!!! Seja o que for, quero é que corra tudo bem e seja saudável. Já tenho uma Sara Leonor com 6 anitos e agora vem o rapaz, para fazer o casalinho!
Obrigada à Helena pela partilha e à Silvia pela Mulher guerreira que é!!!!
Parabéns para as outras 2 amigas mamãs! Tudo a correr bem p´ra todas!!!!
Beijinho e um xi bem apertadinho p´ra todas vós da Céu Vieira de Ílhavo/Aveiro!!!!!...
Felicidades para todas, beijinho...

Helena Teixeira disse...

Olá Céu e obrigada pelo seu carinho!Eu bem queria que a Sílvia pusesse um nome giro ao rapaz.Mas o namorado e ela estão a pensar em ...,é bonito,mas comum.Não vou muito e não posso dizer,porque revelo isso amanhã na 2ª parte :p
Entre Lucas e Mateus,gosto dos dois,mas talvez me incline mais para Lucas.Mateus é um dos Santos Padroeiros de Viseu.Mas Lucas tem algo de diferente e forte :)
Força e Felicidades a mãe e ao pequeno Lucas que vai nascer e a vóvó Céu,a super avó :)

Jocas gordas
Lena

AFRICA EM POESIA disse...

Gostei de passar por aqui


beijos





BEIJOS


Beijos são sempre beijos
De tarde, à noite...
Ou mesmo de manhã...
Deixam ternura...
Matam saudades...
E conservam a vida...

LILI LARANJO

Silbix disse...

Olá, olá!!Sou eu a "estrela da reportage"! Tou a brincar!!Só hoje vi o blog - ai que vergonha a minha!!!!An Lena perdoa!!Está muito giro!!Obrigada a todos aqueles que comentaram o texto.E pela força!Está a correr tudo bem. Agora sou uma mulher bomba! :)Tenho uma bomba infusora de insulina para controlar melhor os níveis de açúcar.Como digo aos enfermeiros-os meus diabretes agora andam amestrados!!
Um abraço de uma amiga

Sílvia Pereira