quarta-feira, 15 de abril de 2009

O prazer




Quando se fala no dia-a-dia sobre o prazer, a primeira ideia que vem é a ideia do prazer sexual. Torna-se é difícil não deixar de se associar a essa ideia, pelo facto de sermos bombardeados com anúncios publicitários, filmes de várias temáticas, que insistem em passar a mensagem do prazer como sinónimo de sexo. O sexo é um dos pequenos grandes prazeres carnais que o ser humano tem o dom de sentir e apreciar para além do simples acto de fazer renascer uma nova vida.


Há quem associe o prazer à verdadeira felicidade. Mas pode corre sérios riscos de não encontrar tal felicidade, se apenas espera encontrar meros prazeres do momento, por vezes artificiais e ocos de sentimentos.


Mas ao associarmos o prazer, apenas ao sexo, estamos a reduzir e a esconder o seu verdadeiro potencial .


Antes de mais, é urgente relembrar o significado dessa palavra:
Prazer: comprazer; agradar; sentimento ou sensação agradável, júbilo, contentamento, alegria; agrado a meu(teu, seu) prazer; à minha (tua, sua) vontade; verbo defectivo conjugado apenas nas 3ªs pessoas.” In:Guedes Fernando, direc. de, Enciclopédia, Editorial Verbo, 2004.

Como podemos verificar, “é sentimento ou sensação agradável”.


Todos os nossos sentidos estão preparados para sentirmos pequenos prazeres no nosso dia a dia, desde o simples acto de acordar ,ao som daquela melodia preferida “What a wonderful world”, e saborear o café da manhã, bem quentinho, enquanto assiste, calmamente ao amanhecer, com os raios multicolores revigorantes que convidam para começar bem o dia.

A felicidade está nos pequenos momentos que vamos vivendo ao longo da vida. Quem souber apreciar e valorizar momentos e sensações tão simples e simultaneamente únicos, como:
relaxar com um banho quentinho ,
comer pão acabadinho de sair do forno todas as manhãs,
dar um passeio pelo campo, ao som do cuco e de pardais, livre de preocupações,
ler um bom livro confortavelmente numa espreguiçadeira no final das tardes de Verão,
degustar o bacalhau com natas com um sublime vinho branco, de chorar por mais,
correr na praia no Inverno, com a família

... está a redescobrir a beleza da vida.

Mais do que saber apreciar as pequenas coisas da vida…é poder fazer o que mais gosta de fazer, mas nem sempre o dia-a-dia o permite, especialmente para uma mulher, que tem tanto para fazer:
É Ter prazer de se conhecer a si mesma!
É o desejo de estar sozinha umas horas, uma tarde, um dia , num encontro a sós com a pessoa que somos e ter experiências só nossas.
O verdadeiro segredo é descobrirmos quem realmente somos e o que realmente nos faz sentir bem.
O verdadeiro prazer é sentirmo-nos bem na nossa pele! Para podermos agradar e partilhar o nosso prazer com os outros.
Susana Falhas

9 comentários:

Luis Bento disse...

boa pele...bom prazer...

Susana disse...

Luís: Vendo bem as coisas, corpo são-mente sã!
Seja bem vindo e obrigada pelo comentário!
Susana

Paula disse...

Olá!
Cheguei até aqui por causa da Tertúlia Virtual.
Gostei, realmente mta gente restringe prazer ao sexo!
Bjos,
Paulinha
http://coloridascanetas.blogspot.com/

Nanda disse...

Gostei de tudo, da cor do blog, da sua explicação sobre a tertúlia, do texto do seu amigo e do seu ponto de vista sobre o prazer, achei bom que a maioria das pessoas abordaram os pequenos prazeres da vida!

Obrigada pela visita e pelo comentário! Bjão.

Juliêta Barbosa disse...

O cotidiano e as suas certezas esse é um prazer supremo, para quem sabe apreciar as coisas simples da vida.Obrigada pela visita.

Susana disse...

Paula,Nanda e Julieta: Sejam bem vindas ao meu cantinho. Ainda bem que gostaram das minhas postagens.

Beijos para todas! E a porta estará aberta, para uma pro´xima visita.

Susana

Iêda disse...

belo prazer!!!

Adorei conhecer seu blog

Beijão

Susana disse...

Lêda: Seja bem vinda ao meu cantinho! Obrigada pela visita e pelo comentário.

Abraço, Susana

Eduardo Santos disse...

Olá amiga, permita-me o tratamento. Simpática - e correcta - a forma que encontrou para abordar o Prazer, não podia estar mais de acordo. São mesmo as coisas simples do dia a dia que mais prazer nos dão, mas se conseguirmos somar esses pequenos prazeres, talvez a felicidade não ande longe. Tudo de bom para si.