quarta-feira, 19 de agosto de 2009

A Doceira de Trancoso ( parte 3)

Foto: OLHO DE TURISTA: Sardinhas Doces
Maria da Conceição é uma das doceiras que faz, por encomenda, as famosas sardinhas doces. Em conversa confidenciou-nos que esse doce teve origem do Convento de Santa Clara de Trancoso. O apoio aos pobres era um dos objectivos dessa instituição que, por norma, ofereciam todos os domingos refeições aos mais necessitados. Usaram a sua imaginação e os recursos disponíveis para a criação de um doce, com o formato de um peixe, que de certa maneira iludia e substituía o prazer de comer uma iguaria, tão rara e difícil de aceder na Beira Interior, como a sardinha.


Fomos investigar e descobrimos que esse convento foi fundado por Cristóvão Mendes, desembargador do Paço e fidalgo da casa de D. João III, em 1537, cujo funcionamento manteve-se até 1864, quando saíram as últimas freiras. Do convento resta o edifício, recentemente convertido para um espaço cultural de Trancoso e a sua famosa receita.

Um saber e um legado que terá passado oralmente de mães para filhas. É possível que com o tempo a receita não tenha chegado completamente genuína aos nosso tempos. Hoje encontramos em Trancoso várias casas, com fabrico próprio e venda ao público, que embora feitas por mãos diferentes, fazem questão de manter a receita o mais artesanal e próximo da receita original.

Para fazer as sardinhas é preciso para a massa : farinha, ovos e canela; para o recheio o açúcar, amêndoas moídas e gemas de ovos e para a cobertura, chocolate e leite e acúçar, para polvilhar.

Em primeiro lugar, deve-se fazer a massa e deixar em descanso em formato de bola, tapada num alguidar. Depois prepara-se o recheio: tritura-se a amêndoa pelada, que se junta na panela, previamente fervida com água e açúcar e as gemas batidas. Para não agarrar, deve ir mexendo com a colher de pau, até engrossar o creme e deixar arrefecer.

Pega-se na massa, que depois de estendida , se coloca o recheio e dobra-se e reconta-se o formato em peixe. Passar pela fritura e deixar arrefecer.

Para a coberura, coloca-se ao lume brando uma tablete de chocolate, com leite/água, até ficar líquido e permitir mergulhar rapidamete a sardinha, para ganhar um tom acastanhada. Deixa-se arrefecer e secar e fica pronta a comer.

É um processo moroso, que requer muita paciência e cuidado. A Maria da Conceição, que está habituada a fazer, demora em média 2 horas a fazê-las.

Mas quer um conselho? Quando for a Trancoso, passe pela casa da doceira Conceição e experimente. Se gostar, peça-lhe a receita, com as porções exactas e faça-as em casa, se tiver a mesma paciência para as fazer...

Para o caso de alguém ter ficado com água na boca com este doce, informo ainda que a doceira aceita encomendas.

Quem estiver interessado, mande um e-mail para: geral@susitour.com, com o pedido de contacto, que teremos todo o gosto em enviar.

Boas férias para quem está em férias e boa semana para quem trabalha!

Nós voltaremos em Setembro, com outras grandes revelações beirãs. Até lá divirta-se e tente ganhar um bom prémio, sem comprar nada no nosso blogue: http://www.aldeiadaminhavida.blogspot.com/ !

12 comentários:

KOTTA disse...

Fiquei curiosa e tenho pena de não saber quantidades, porque queria tentar fazer.Até Setembro. Bjo

Cusca Endiabrada disse...

Ena, com receita e tudo!

Ai, ai, o que vale à D. Conceição é eu sofrer de "preguicite crénica" senão abria uma lojinha e fazia-lheconcorrência! Claro que para não ser acusada de plágio, não chamaria "sardinhas" ao pitéu ... espetava-lhes um palito e ficavam "jakinjinhos doces" ihihihih

Digam lá se a cusca endiabrada não tem ideias brilhantes ihihihih

dentadinhas âs duas

Susana disse...

Kotta: Não publiquei a receita na íntegra de propósito...quem quiser saber o segredo, sempre pode enviar um e-mail para entrar em contacto directo com a doceira.

Cusquinha: Não era má ideia...porque não vais lá a aprender a arte com ela? Acredita que farás furor abrindo uma lojinha.

Bjs Susana

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...ingenio
nectar
del
alma
y
pasion
de
vida
del
dulce
estar
en
feliz
compañia
siempre....


desde mis ----horas rotas---

te sigo clube das mulheres

beiras , con un fuerte abrazo

comparto tan bello blog .


afectuosamente :


jose

ramon...

KOTTA disse...

Olá Susana então essas férias foram boas? Espero que sim. Bjo

Elisabete Ramos disse...

Estou muito curiosa com este doce... da próxima vez que passar em Trancoso vou à procura. Até o meu marido que é da Meda ficou curioso... beijinhos.

Helena Teixeira disse...

Obrigado José pelas suas belas palavras.Ficamos muito feliz por apreciar e seguir o nosso blogue.
Cumprimentos

Lena

Susana disse...

Elizabete:
Agora é que me deixaste curiosa...tens raizes da Mêda? Será que conheço o marido?

Eu sou da Mêda e vivi lá até ir estudar para fora (Agora vivo em Viseu) mas os meus pais e parte da família continua lá.
Bjs Susana

Susana disse...

Kotta:
As férias foram boas, mas sabem sempre a pouco...esta semana ainda estou a meio gás...para ambientar...para a semana voltarei com força ao trabalho e com outras mulheres beirãs.

Bjs Susana

Susana disse...

Caro José: Seja bem vindo ao clube! É uma honra tê-lo por aqui a apreciar as mulheresportuguesas e beirãs.

Esteja à vontade.
Abraço, Susana

Dri Viaro disse...

nham nham, agua na boca, agua na boca rsrs
bjsss

Dri Viaro disse...

boa tarde
bjss